Atendimento especializado em Desentupimento e Dedetização em São Paulo

Desentupidora Império Logo
Atendimento 24 horas São Paulo - Ligue: (11) 3983-1006 Clique aqui e fale conosco agora (11) 3983-1006

Atendimento Estamos atendendo Envie uma mensagem

Fechar






    Boas práticas para o controle de pragas em restaurantes segundo a ANVISA

    Boas práticas para o controle de pragas em restaurantes segundo a ANVISA

    Publicado em: 07 de fevereiro de 2019
    Em: Controle de pragas Por: Império

    Todos os setores que prestam serviços de alimentação, de uma forma bem geral, devem seguir práticas recomendadas pela ANVISA – Agência de Vigilância Sanitária, para evitar problemas com os alimentos, com o atendimento aos clientes e, consequentemente, com infrações de natureza sanitária, com perigo de sofrer penalidades muitas vezes severas.

    praticas de controle de pragas para restaurantesA preocupação com o controle de insetos e outras pragas, acontece principalmente pelo respeito ao consumidor, prezando sua saúde através do cuidado com o local e os alimentos.

    Um restaurante por si só, já é atrativo demais para as pragas, afinal, tanto insetos quanto roedores, encontram comida e condições propícias para se desenvolverem e permanecerem. Até durante os meses mais frios (onde a incidência de insetos é menor), dentro de restaurantes o processo de cuidado deve se manter o mesmo, visto que os insetos podem continuar infestando e proliferando no local com a ajuda do calor da cozinha, por exemplo. Agora imagine sem os cuidados necessários?!

    A falta de cuidado com o controle de pragas em restaurantes é tão importante que pode acarretar em diversos prejuízos para o proprietário, inclusive a interdição do estabelecimento.

    Os proprietários devem ficar muito atentos quanto a legislação e quanto aos prazos e procedimentos corretos em relação ao controle de pragas, que acontece desde cuidados gerais com a limpeza e estoque de alimentos, até o cuidado com a contratação de dedetizadoras especializadas.

    Práticas recomendadas para o controle de pragas

    De acordo com a Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004, emitida pela Anvisa, as empresas prestadoras de serviços alimentícios devem seguir as seguintes orientações:

    • As portas e as janelas devem ser mantidas ajustadas aos batentes. As portas da área de preparação e armazenamento de alimentos devem ser dotadas de fechamento automático. As aberturas externas das áreas de armazenamento e preparação de alimentos, inclusive o sistema de exaustão, devem ser providas de telas milimetradas para impedir o acesso de vetores e pragas urbanas. As telas devem ser removíveis para facilitar a limpeza periódica.
    • Os resíduos devem ser freqüentemente coletados e estocados em local fechado e isolado da área de preparação e armazenamento dos alimentos, de forma a evitar focos de contaminação e atração de vetores e pragas urbanas.
    • Os meios de transporte do alimento preparado devem ser higienizados, sendo adotadas medidas a fim de garantir a ausência de vetores e pragas urbanas.
    • Os POP relacionados ao controle integrado de vetores e pragas urbanas devem contemplar as medidas preventivas e corretivas destinadas a impedir a atração, o abrigo, o acesso e ou a proliferação de vetores e pragas urbanas. No caso da adoção de controle químico, o estabelecimento deve apresentar comprovante de execução de serviço fornecido pela empresa especializada contratada, contendo as informações estabelecidas em legislação sanitária específica.
    • A edificação, as instalações, os equipamentos, os móveis e os utensílios devem ser livres de vetores e pragas urbanas.
    • Deve existir um conjunto de ações eficazes e contínuas de controle de vetores e pragas urbanas, com o objetivo de impedir a atração, o abrigo, o acesso e ou proliferação dos mesmos.
    • Quando as medidas de prevenção adotadas não forem eficazes, o controle químico deve ser empregado e executado por empresa especializada, conforme legislação específica, com produtos desinfestantes regularizados pelo Ministério da Saúde.
    • Quando da aplicação do controle químico, a empresa especializada deve estabelecer procedimentos pré e pós tratamento a fim de evitar a contaminação dos alimentos, equipamentos e utensílios. Quando aplicável, os equipamentos e os utensílios, antes de serem reutilizados, devem ser higienizados para a remoção dos resíduos de produtos desinfestantes.

    Todo o conteúdo acima foi extraído da Resolução e você pode conferir o documento completo da Anvisa, clicando aqui.

    Siga as recomendações e boas práticas acima para evitar que insetos e roedores tenham acesso ao seu restaurante e clientes, manchando a sua imagem.

    Caso tenha dúvidas sobre a prestação de serviços em controle de pragas e dedetização, entre em contato conosco via formulário de contato ou telefone.

    Compartilhe este artigo